"A runner must run with dreams in his heart" Emil Zatopek

"A runner must run with dreams in his heart" Emil Zatopek
"A runner must run with dreams in his heart" Emil Zatopek

quarta-feira, 23 de maio de 2018

A barreira dos mitos e a tradição oral Africana


Inicialmente este blog foi criado para difusão e discussão dos conhecimentos das ciências do esporte sobretudo o atletismo e as provas de corrida; Entretanto minha vida foi redirecionada diversas vezes e consequentemente o conteúdo que produzo também. Então agora começo a desfragmentar em posts os acontecimentos da minha profissional.

Alguns dos meus seguidores sabem que estou matriculado no curso de mestrado do Centro de Estudos Afro-orientais na Universidade Federal da Bahia, neste semestre estou cursando a disciplina, África pré-colonial, ministrada pelo professor Elias Moniz. Nestas últimas aulas eu apresentei um seminário sobre o tempo africano e a tradição oral.

Este seminário coincidiu com minha primeira atuação como MC na batalha em Cajazeiras 5, foi uma satisfação enorme fazer parte do evento da Juventude Ativista de Cajazeiras. Foi uma Batalha de conhecimento e eu como um MC cabaço, fui logo mandando ataques e devido a isto não passei nem da primeira fase. Porém aguardem as próximas batalhas do MC LANTSU.



Mas qual a relação entre as batalhas de MC's e a tradição oral africana?

A perpetuação do conhecimento africano ao longo das gerações é garantida pelos contos míticos contados oralmente, o africano valoriza as vivências que propiciam experiências valiosas, disponibilizando conhecimento para as gerações futuras.

Dentro das rodas de batalhas de rimas no Brasil, a predominância da participação do negros em condições de vulnerabilidade social é notória e indiscutível, basta olhar o retrospecto do cenário nacional e puxar a ficha dos grandes nomes, Douglas Din, bicampeão do duelo nacional e um dos mais respeitados MC's do Brasil, oficialmente neste últimos 10 anos de duelo nacional que é abrigado pelo Viaduto Santa Tereza em BH/MG, o único Mc branco a vencer foi o Sid, todo o meu respeito ao Sid, que em 2016 fez uma final emocionante com o carioca Samurai, um dos personagens mais lembrados da batalha do Tank.


As batalhas não escritas, são oralizadas, carregadas de referências (como nas teses e dissertações), simbolismo, figuras de linguagem, e conhecimento das experiências da rua, sem dúvida nenhuma a batalha de Mc’s é um recanto aberto e democrático de expressão da cultura africana. As batalhas são forjadas dentro de um jogo dialético, retórico, com suas réplicas e inquietações que fazem a batalha viva.

quinta-feira, 1 de março de 2018

REFLETINDO E ABRINDO DISCUSSÕES ACERCA DA JUSTIÇA, IGUALDADE E VINGANÇA

Mas vamos falar de Justiça e igualdade para TODOS, não somente nos casos eu vou você gostaria.

A nossa sociedade atual tende a tolerar e aceitar muitas injustiças sociais do que outras. O que faz uma injustiça ser bem aceita? Acho que existe uma dificuldade de admitir que na maioria das vezes as injustiças mais toleradas são cometidas quando são contra negros, mulheres e pessoas que vivem em condições de vulnerabilidade social; sem dúvida nenhuma a injustiça cometida pelo homem branco detentor do capital e bens materiais de alto valor é mais tolerada e aceita; e se por acaso uma mulher negra pobre tem a oportunidade de cometer uma injustiça contra este homem, não tenho dúvidas que ela será condenada pela grande massa.
No contexto esportivo; Lembro muito bem a imagem de um futebolista argentino que fez sucesso nos anos 80, o Maradona, que possuía um talento incomum dentro dos gramados, porém o Maradona foi usuário de cocaína, e caiu no doping. Porém a sociedade continua a idealiza-lo como um grande ídolo da história do futebol, na Argentina existe até uma igreja para idolatra-lo. Vejamos agora a história do Garrincha, o futebolista brasileiro de talento inato, porém alcoólatra, o que fez ser esquecido e morrer no ostracismo, mesmo não tenho enfrentado caso de doping, porque o álcool é uma droga legalizada.

Neste caso está evidente que o Garrincha foi menos lembrado como um jogador extraordinário porque era de origem humilde, negro e o Maradona tolerado e idolatrado pelas grandes massas porque era branco. Não quero nem entrar na questão que a cocaína é uma droga ilícita e além de tudo é doping, e o álcool é lítico e não é doping.
Partindo para o contexto sócio-político
Recentemente dentro do cenário político, dentro do Bunker do ex-ministro Geddel Vieira Lima foi encontrado malas com dinheiro que totalizavam mais de 51 milhões de reais, fruto de esquemas de corrupções; Corrupção que é danosa para toda à sociedade, que contribui com altas taxas de impostos e sofre com a carência e ineficiência da prestação dos serviços públicos fundamentais; entretanto quando se se trata de crimes de menor gravidade como pequenos furtos cometidos por jovens negros nas comunidades carentes, a polícia se sente no direito de julgar e condenar a morte em poucos segundos. E muitas vezes os jovens negros que não assassinados são levados à prisão e alguns deles alegam, “Os políticos roubam milhões e eu só fiz uma fita e sou espancado pela polícia e detido”.

Neste argumento é compreendido o desejo de ocupar o lugar de impunidade dos políticos corruptos, neste caso não trata-se do desejo de justiça, mas de ser comtemplado pela impunidade tal como a dos políticos, uma argumento que reivindica a impunidade de seus próprio atos criminosos. O criminoso que faz esta reivindicação apelativa, ignora que ao cometer o crime de furto, ele equipara-se ao político corrupto e consequentemente, tão criminoso quanto. É um argumento que entende que o crime alheio sempre pior que os próprios crimes, é o argumento de dois pesos e duas medidas, de homens hipócritas de dois papos. Não tenho vontade alguma em tentar diminuir a gravidade de um crime de corrupção que tira milhões de reais das mãos dos trabalhadores brasileiros, apenas quero lembrar que justificar uma conduta criminosa com outra é no mínimo paradoxal, e o paradoxo se torna mais forte quando o crime possui as mesmas características. Fica explícito que não existe o desejo de JUSTIÇA, mas sim o desejo de respaldo legitimado pelos atos criminosos. Porque o apelo não é por JUSTIÇA, e sim pelo direito de também cometer crimes.
Note que neste tipo de argumento do criminoso, não existe nada para que venhamos pensar em formas de combate ou punição à corrupção e crimes cometidos por jovens negros como ele. E quando eu coloco a palavra combate, não se trata de força armada, e sim de estratégias inteligentes  para que os políticos e nem que os menores negros não sejam induzidos ou encaminhados para o crime.

Imagine agora um cidadão que teve seu iphone novo roubado que foi comprado em 18 vezes com juros, e não comunica as autoridades políciais do roubo ocorrido. e decide tomar a atitude de roubar todas as pessoas que usam o iphone. Ele é um ajudante de descarga de caminhões e trabalha 16 horas por dia para pagar as prestações do Iphone; não demora muito a polícia consegue captura-lo, e pergunta, "sabemos que você é trabalhador, por que você estava rooubando iphone?" eles responde: "Porque eu fui assaltado e levaram meu iphone"; Será que é uma boa justificativa para a polícia?

 No contexto das relações humanas

Dentro das relações conjugais é evidente que o machismo se manifesta em muitas situações, e coloca a mulher em condições de inferioridade e injustiça em muitos casos, e isto é trato como indiferença, tolerância e aceitação na maioria dos casos; E isto não me deixa tampouco feliz ou confortável diante disto, na minha condição de homem; Em muitos casos as mulheres encontraram muitas dificuldades para assumirem cargos que são ocupados majoritariamente por homens, mesmo sendo melhores que muitos homens que ocupam tais cargos, alguns exemplos s a de árbitro FIFA de futebol, de Piloto de carro, ou aeronaves; Sabemos que algumas empresas deixam bem claro na hora de contratar que preferem homens para estes cargos, limitando os espaços do mercado de trabalho e restringindo a mulher, o direito de progredir nestas carreiras profissionais e quando eu trago esses fatos para as mulheres eu escuto coisas do tipo: “... o machismo tira o espaço da mulher injustamente...” e eu concordo; Porém os homens também são injustiçado em alguns momentos também quanto tentam conquistar o espaço em carreiras onde a atuação é majoritariamente feminina, professor de ginástica artística, professor da educação infantil, professor de ballet; onde muitas vezes acontece o contrário, onde muitas empresa explicitam a preferência pelo sexo feminino, impedindo assim o ingresso de homens interessado ao cargo, mesmo que este sejam melhores que algumas mulheres que ocupam o cargo; algumas vezes que eu relato isto diante das mulheres muitas deles NÃO dizem “é uma injustiça impedir ou dificultar o homem de concorrer às vagas onde majoritariamente as mulheres atuam”; Elas dizem “... pois é, as mulheres são injustiçadas em várias outras situações e oprimidas pela sociedade machista, e ninguém acha isto um absurdo.” E isto não é verdade, eu acho um absurdo, muita gente acha isto absurdo inclusive algumas mulheres, inclusive alguns homens. Mas este não é o caso aqui, o caso aqui é que INJUSTIÇA É SEMPRE RUIM, não importa o sexo; porém algumas mulheres agem com indiferença ou descaso quando a injustiça é com o sexo oposto, porque quando a injustiça é comigo é ruim, mas quando é com o outro, é melhor agir com indiferença ou tentar desqualifica-lo. O mesmo acontece no caso da infidelidade masculina dentro das relações conjugais, que é vista com e aceitação e orgulho por muitos homens, e comumente tolerada pela sociedade em muitos contextos. Algumas mulheres se sentem à vontade na traição ao alegarem este motivo, usando como principal argumento a boa aceitação da traição masculina, então fazem o mesmo uma vez que a traição do homem não é repreendida ou julgada em muitos casos; então algumas mulheres se sentem à vontade para trair seus parceiros se colocando em posições de submissão perante aos homens machistas, que proliferarão discursos cada vez mais machistas, porque para algumas destas mulheres a traição masculina justifica a feminina; E muitas vezes esquecem que a traição que não é bem aceita por elas, é cometida por elas mesmas, se tornando assim semelhante ao homem, porque as mulheres que alegam isto não querem justiça, neste caso elas entendem isto como “vingança” do gênero feminino; porque não está relacionada com a fidelidade do parceiro, mas sim o desejo de trair e o fato da traição cometida pelo gênero masculino, ser mais tolerada e aceita socialmente; A questão que fica é que esta é a vingança da pior forma, de uma forma que não ajuda à diminuir o machismo, porque em muitos casos é feita de um jeito que coloca a imagem delas em condições de inferioridade diante da sociedade com mais julgamento, e equiparando-se a face masculina que elas mais odeiam, porém reproduzem. Neste tipo de argumento está contido o desejo de cometer atos de traição e serem toleradas e bem aceitas socialmente, tal como a maioria dos homens são. Neste tipo de argumento não está contido o repúdio ou repressão à infidelidade masculina e ao machismo; mas sim expõe a figura da mulher à ridicularizarão, o que não me agrada em nada; acontece que a sociedade, inclusive as mulheres precisam assumir a responsabilidade de agirem com inteligência e eficiência para combater a desigualdade de gêneros.


A verdade é que muitas pessoas amam a Vingança em detrimento da Justiça e assim acabam se comrrompendo, tornando-se ou se assemelhando as pessoas que mais destetam. Pessoas que gostam de falar das injustiças vivenciadas e são indiferentes perante as injustiças alheias. E assim tendem a agir em jurisprudência tal como a lei de arcaica do Hammurabi que causou o caos social, pela garantia da vingança a todo custo.

A verdade é que as pessoas não gostam da impunidade, mas quando elas estão passíveis a punição elas fazem de tudo para escapar da penalidade.

Muitos intolerantes às traições, não hesitam em trair.

Para entender melhor como a desigualde de genero é nociva para nossa sociedade, recomendo o filme, Je ne suis pas un homme facile.

Provérbios que servem para este momento.


O certo é certo, mesmo que ninguém o faça. O errado é errado, mesmo que todos se enganem sobre ele.


Pimenta nos olhos dos outros é refresco.



Um erro não justifica o outro.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Projeto Corrida e Caminhada nos Bairros


O projeto corrida e caminhada nos bairros, foi criado e idealizado por mim, Alan Ricardo, professor de Educação Física. O principal objetivo deste projeto é popularizar a pratica da corrida rua nas ruas das metrópoles com a intecionalidade de aproximação ao estado de bem-estar e prazer. O projeto traz o ideal de visitar um bairro da cidade de Salvador, onde tenha gente bonita, pelo ao menos uma vez no mês. Neste mês já aconteceram dois encontros no bairro de Águas Claras, na minha amada Cajazeiras. Conheci pessoas legais e com disposição para cuidar da saúde e treinar. Sou grato a Dona Lúcia que esteve presente nos dois encontros!
Obrigado Águas Claras! =)

Agora quero fazer um convite para você que tem a intenção de chegar no Carnaval na pegada Fitness!
Venha treinar com o nosso grupo! Em breve promoveremos a "Maratona Carnavalesca"!
Faça Sua Inscrição pelo depósito bancário na Caixa Econômica:Depósito em conta bancária. AG: 3617 Op: 013 , Conta: 39711-8


Vamos correr no circuito do carnaval! 
Sairemos do Largo do Campo Grande em direção a Praça Castro Alves pela avenida Sete de Setembro, passaremos pelas Cruz Caída, entraremos no Terreiro de Jesus e Voltaremos para o Campo Grande pela Carlos Gomes, passaremos pelo corredor da Vitória em Direção ao Farol da Barra. Contaremos com Hidratação com água e Guaramix, no final teremos um delicioso açaí! 

Além de tudo, eu estou cada vez mais fazendo treinos mais longos e sentindo muito prazer na corrida, se você quer me levar para sua Maratona, me chama, que eu vou correr e acompanhar tudo o que se passa de interressante e fazer altos post para o nosso blog.
Venha se matricular no nosso clube de corrida. Entre em contato comigo pelo whatsapp 98191-0869.

Muito Obrigado pela audiência e pela participação que faz meu trabalho melhor!


quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

O que vocês usam na cabeça para proteger a cabeça dos raios solares?


Olá corredores e amantes do atletismo, neste dias estive correndo bastante inclusive hoje onde fiz 18kms de corrida, e percebi o quanto é importate projeter a pele dos raios solares principalmente as regiões mais sensíveis à exposição.
Alguns corredores usam gorro na cabeça para se protegem do frio intenso, como foi o caso do Bicampeão da maratona de New York, o brasileiro Marílson dos Santos. Outros preferem um tipo diferente de Bandada, como é o caso do rei da maratona da Disney, o Mikey's close friend Adriano Bastos. Porém aqui no Brasil é muito comum o uso de bonés ou viseiras, porém alguns outros ainda usam chapéus.

Então quero saber o que você faz ou usa para se proteger apropriadamente quando vai correr por longos períodos de tempo.
Deixe seu comentário e forneça suas dicas!
Bons treinos!
Quer seu treinamento bem planejado e orientado por um professor de atletismo, liga pra mim: +557198191-0869 - Whatsapp

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Take me to Half Marathon

Olá Amantes da corrida, eu estou cada vez decepcionado com a gestão do atletismo brasileiro, onde um pequena parte de um grande escândalo de corrupção foi escarado na mídia, onde os nomes dos atletas brasileiros foram usados como laranjas orçamentários para o enriquecimento de alguns gestores do esporte. Agora muitos atletas se manisfestam na mídia pedindo a cabeça dos corruptos que impendem o bom desenvolvimento do esporte de alto rendimento no Brasil.

Quero informar, que em 2018 estarei começando o projeto, me chama pra correr, eu vou!

- Projeto: Me chama pra correr, eu vou!
Call me to run, I'll run!


O projeto consiste em percorrer o máximo de cidades possíveis no mundo para correr uma meia maratona ou maratona, onde eu irei descrever todas as características peculiares das cidades e do percurso da prova, assim como a interação entre os corredores, contribuidores que comentarão e analisarão o evento, desde a estrutura até as principais dificuldades e os diferentes trechos.
Mas lembrando que eu preciso do seu apoio, para pagar os custos das viagens e participação dos eventos. Me leva pra correr, que eu levo sua marca também e a depender do quando seja investido, eu levo também outros atletas do meu clube de corrida.

Quem sabe eu não estarei em breve na maratona de Chicago ou New York, só me chamar que eu vou.


This project consists of traversing cities to run a half marathon or marathon, I will describe all the peculiar characteristics of the cities and the course of the race, as well as the interaction between the runners, contributors who will comment and analyze the race.
I'm remembering that I need your support, to pay the costs of travel and the participation of events. It makes me want to run, which also makes my brand depend on when I am invested as well as other athletes from my racing club.

My Paypal account is: alanricardo8@hotmail.com

Maybe I'm not in the marathon soon in Chicago or New York, just call me that I will.
I'm thinking that I'm closer California.

Thank you so much!
Muito Obrigado


sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

O que realmente é relevante para ser um corredor mais veloz?

Frequentemente observo corredores que tentam evoluir na corrida, pensando em treinar para aumentar o VO2máximo com os treinamentos de alta intensidade, fartleks, intervalados em bloco; Diante deste cenário levantamos os seguintes questionamentos, O que é o VO2máximo?; O aumento do VO2máximo torna o corredor mais veloz?
Antes de começar a responder tais perguntas, vamos entender um pouco sobre alguns conceitos.
VO2máximo -  Consumo máximo de oxigênio, a quantidade de oxigênio necessária para manutenção do exercício em máxima intensidade. Samdamoto (2011).
Muitos treinadores do atletismo até hoje acreditam que o VO2máximo é o mais determinante fator de desempenho e performance para corredores do alto rendimento. Constantemente presencio treinadores planejarem treinamentos para que haja incremento das características biomotoras, que são diretamente influentes nos índices de VO2máximo Howley (2000).
Image result for running numbers

O nosso corpo não funciona segundo uma regra de três simples, a tendência é acreditar que o consumo de oxigênio é diretamente proporcional ao desempenho. Lembro dos meu primeiro problemas de matemática no ensino médio, “Se um carro percorre 10kms com um litro de etanol, quantos litros serão necessários para percorrer uma distância de 40kms?” Parece se tratar de um problema de lógica incontestável, ninguém se ariscaria a negar que o carro que percorre uma distância muito maior, precisa de muito mais combustível. Porém podemos pensar um pouco além da lógica-matemática e partir para a parte complexa deste problema, a parte que corresponde à realidade fatídica.

1- Vamos pensar que estamos no Brasil e todos os brasileiros sabem que as condições do asfalto são as melhores possíveis, exigindo trocas de marchas e manobras arriscadas para desviar dos buracos e imperfeições da estrada. Além de tudo as condições climáticas podem favorecer o bom desenvolvimento da velocidade ou não. Se o Seu GPS te indicar a rota mais curta você pode acabar em uma estrada cheia de lama e buracos que fará seu carro consumir muito mais combustível.

2- As condições do carro, um dos carros pode estar em melhores condições de funcionamento que o outro, com revisão mecânica total ou não, o quanto as peças estão conservadas ou desgastadas, são características importantes para o desempenho.

Quando falamos em fisiologia humana do exercício, o panorama é muito mais complexo, uma vez que envolve muito mais variáveis internas e ambientais que influenciam o desempenho Coyle (1983).

Além de tudo algumas pesquisas mostram que existe uma grande variação de índice de VO2máximo entre os corredores de elite ( 65mL/kg/min-85mL/kg/min); talvez você tenha pensado que os atletas com 85mL/kg/min superam com certa facilidade os que possuem “apenas” 65mL/kg/min; porém é um pensamento que não corresponde aos fatos, muitas vezes os atletas de VO2máximo mais baixo conseguem melhores performances  durantes as provas Fritzgerald (2010).

Temos que olhar para outro fator importante que influencia o rendimento da corrida, a economia de corrida. Discutiremos sobre esta variável no próximo post do blog.

Tucker, R.; Dugas, J.; Fitzgerald, M. O Corpo do Corredor. São Paulo. Editora Gente. 2010.
Hagberg, J.M. & Coyle, E.F. Physiological determinants of endurance performance as studied in competitive racewalkers. Journal of Medicine Science and Sports.N°: 15, V: 4, p.: 287-289, 1983.

Sato, K., Ogoh, S., Hirasawa, A., Oue, A., & Sadamoto, T. The distribution of blood flow in the carotid and vertebral arteries during dynamic exercise in humans. Journal of Physiology.2011.

Bassett Jr., D.R. & Howley, E.T. Limiting factors for maximum oxygen uptake and determinants of endurance performance. Medicine & Science in Sports & Exercise, 2000.

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

E você já correu a São Silvestre?


O ano passou correndo e está a poucos dias do fim, a são silvestre está se aproximando com a chegada do Réveillon. Sem dúvidas nenhuma é uma das corridas rústicas mais famosas na América Latina, que acontece em uma megalópole de mais de uma dezena de milhões de habitantes. Algumas modificações no volume da prova foram feitas e em 1991 foi estabelecida a distância oficial de 15 mil metros. Uma prova que já recebeu campeões e campeãs Ilustres, a locomotiva Émil Zatópek, o mexicano Arturio Barros e o esquecível e lendário queniano Paul Tergat, o maior vencedor da prova, simplesmente pentacampeão e detentor do record da prova com o tempo de 43 minutos e 12 segundos.
Image result for Paul tergat
Paul Tergat - O maior vencedor da história da São Silvestre e detentor do record da prova
As campeãs María Del Carmen Días do México, a portuguesa Rosa Mota (quando a distância era menor que 15kms), e a recordista Jemima Sumgong. 
Image result for Jemima Sumgong
Jemima Sumgong, Recordista da São Silveste com o tempo de 48 minutos e 34 segundos
O Brasileiro com o maior número de vitórias na São Silvestre é o maratonista Marilson dos Santos, que além de tudo tem o segundo melhor tempo em maratonas, entre os brasileiros, o memorável bicampeão da maratona de New York.
Related image
Marilson dos Santos, tricampeão da São Silvestre
Se você é um corredor que está presente nas provas de corrida de rua já deve ter respondido essa pergunta, ou melhor, essa daqui: "Você já correu a maratona de São Silvestre?".
É uma pergunta clássica que doem nos ouvidos, porque a corrida rústica da São Silvestre não é uma maratona, a distância oficial da maratona segundo as regras da IAAF é 42.195 metros, e a São Silvestre conta com "apenas" 15.000 metros de estrada e muita midiatização, logo a São Silvestre Não é uma maratona. Além de tudo existem muitas outras provas mais complicadas, mais bonitas, mais organizadas.... Eu nunca corri uma São Silvestre e nem por isto eu não me sinto um corredor de segundo escalão por conta disto, porque eu já encarei e superei adversidades correndo provas mais complicadas, já disputei a meia maratona (farol a Farol) em Salvador, e a meia maratona do Running D'aventura, das provas que disputei sempre fui um forte candidato a levar o troféu de campeão da minha categoria, e levei muitas vezes, até mesmo a seletiva da São Silvestre aqui (em Salvador-Bahia) é muito mais complicada que a própria São Silvestre, só o Aclive da famosa ladeira Barra..., quem conhece a ladeira da Barra, sabe que brigadeiro é só um docinho gostoso que se come lá no final, depois do prato principal, é na ladeira da Barra que a pimenta baiana arde nos olhos, o vento da maresia salgada nos olhos se misturando com o suor, ahhh ladeira da Barra, ladeira que motiva a desistência de muitos corredores. Não sinto falta de uma São Silvestre no meu currículo de atleta, sinto falta de maratona (42.195 metros), que em breve conquistarei.


A barreira dos mitos e a tradição oral Africana

Inicialmente este blog foi criado para difusão e discussão dos conhecimentos das ciências do esporte sobretudo o atletismo e as provas d...